setembro 15, 2011

As páginas
chegam ao fim.
O junto a elas
vão-se embora
todas as lembranças físicas
que ficarão
eternamente na memória

Eu vou conseguir
parar de desrespeitar à mim
parar de desrespeitar à ti
Eu vou conseguir seguir.

Nos momentos mais insanos
acho que ainda vou te procurar.
Mas enquanto houver lucidez,
quem parece se fazer mais presente,
Eu vou me controlar.

Os objetos vão embora
Já consigo os tirar daqui
Só as sombras vão ficando
Só me resta fingir

Só me resta fingir
que nunca estiveram aqui
Mas eu não me engano
fingir não é tão fácil assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário