novembro 07, 2011

Cúmplice


O mais bonito de todos
O que eu não precisei fingir
Não tive medo de ficar
Não tive medo de fugir

Eu nunca temi perder
Sempre esteve comigo
Sempre fez sentido
Eu não precisava explicar


Eu não tive medo de chorar
Eu não tive medo de ouvir
Eu não preciso correr atrás
Ela sempre está em mim

A gente se perde 
A gente se encontra
A gente muda
Mas a gente se ama

A cara, a coragem, a cumplicidade
Eu, você... sempre...
... Saudade...


à Glenda Suellem

Nenhum comentário:

Postar um comentário