dezembro 04, 2011

Efeito borboleta


Eu não esqueço
As lagrimas no banheiro
na cama, no chuveiro
Minha decadência
meu desespero

Momentos mágicos
que linda emoção
O brilho nos olhos
quanta ilusão

Saí do espaço
eu sucumbi
Livre do laço
eu transcendi

Cadeado, correntes
com gosto de mel
Grades de nuvem
eu estava no céu

A farsa caiu
não se aguentou
Amando as grades
que me enganou

As portas se abriram
e eu queria ficar
Uma fábula qualquer
vestida de amar

Eu fecho os olhos
mal posso enxergar
O quanto doeu
me libertar

Nenhum comentário:

Postar um comentário