maio 03, 2014

Solitude

Hey Fritz, solte minha mão
Não consigo parar
Estou embrigada de compaixão

Hey Fritz, mais uma vez te trai
Tantas vezes que tentei
Mas sozinha estou aqui

Não tenhas pena
Sim, das lagrimas que rolam
Pois minha solitude está a se aproximar

Tantas vezes a temi
Tentas vezes fugi
Mas eis, observe, ela bem aqui

Como é doce sua presença
Por que tantas vezes te vi como sentença?

Mas eis um barulho a incomodar
Diferente da canção que estou a ouvir
O telefone a tocar, essa é a hora
Mais uma vez vou fugir


Nenhum comentário:

Postar um comentário