julho 18, 2017

deságua

Deixa eu beijar-te,
afogar-me no garboso calor de seus lábios.
Quero ouvir-te tocar,
ouvir o toque de seu dedos em mim.
seu toque em minhas profundezas voluptuosas.

Sua carne despertando toda minha pele
que num quente arrepio
desperta a minha esfinge
sedenta em decifraste e devorar-te

Deixa eu entrar
nas profundezas de seus espírito
perder-me na dor nefasta que aflige seus dias

Alimenta minha ânsia de ti
com um clímax escarlate de sua sombra
refresca-me com o gelo do medo
que estuga em teus nervos

vilipendie seu temor do afeto
afugente teu receio de incerto
valha das vontades que a ti serve
lambuze-se no liquor de meu prazer em ti

Nenhum comentário:

Postar um comentário