junho 21, 2017

primeiro ato

como arquétipo andarilho
invado teu cenário
sob o manto do teu corpo
faço-te de agasalho

abraso-me nos teus lábios
numa fuga senciente
em busca de abrigo
do meu exílio inconsciente

e aquele atrito atrativo
do meu tato sobre teu
leio-te como páginas de livro
que o tempo escreveu

e toda história se mistura ali
dos teus medos com os meus
no enlace de nossos corpos
a volúpia os venceu

abril 18, 2017

tome uma taça de vinho comigo
tome o teu lugar de abrigo

teria teu tato um trato
de trazer tremor em meu torso

no talhe de teu tronco me encontro
tecendo imagens tranco
transmutando estampa em timbre

palavra é afeto entalhado
é transa e gozo em invento

eu tento
mas não trilho
e sinto
mas não sigo

abril 11, 2017

eu não vou
brigar
não por você
se tu sabes bem
sobre seu querer

e também
não vou dizer
o quanto te quero
o quanto importo-me com você

há tanto na estrada
e cá estou eu
só e cansada
parada

há tantos rumos
e eu cá só
luto
em luto
há mais eu luto
mas não por você

se tu sabes bem sobre ti
sabes bem que estou aqui
deveria saber vir

não confunda
não é medo
migalha
ou menospreso

é que tu es verbo
infinitivo
adjetivo e substantivo
eu quero ver-te
em teu caminho

quem sabe um dia
todos os dias
caminhando
no cruzamento de qualquer nuance
a gente se encontre
e se ame

mas deixe-me aqui
vê-lo seguir
as vezes dói
mas constrói
até a próxima vez

abril 10, 2017

eu verso
sobre o inverso
e me imerso
em ti

nestes versos
ao vento
eu invento
o teu ser

e reinvento
o momento
movimentando
o meu querer

e desvendo
teu invento
no desejo
de mover

abril 04, 2017

você lá
e eu cá

eu queria ter novas palavras para lhe falar
para me expressar
para te convencer
o quanto quero te ver

você aqui
e eu aqui
você ao meu lado
eu te vejo sorrir

não fui eu quem fiz
você sorrir

eu queria novas histórias para te contar
eu queria novos caminhos
para lhe impressionar
eu queria mesmo era te beijar

o que me impede de lhe falar?
o que me impede de lhe tocar?

tem dias que são simplesmente ruins.
e há aqueles dias
que nós sentimos tão ruins

ruins em caminhos
escolhas
desejos
atos
direções

ruins com as pessoas
comigo mesma

aqueles dias que
há se eu pudesse deixar para lá

há se eu pudesse me jogar
em seu colo
ou do seu prédio

abril 03, 2017

tudo o que temos
indica temer

tudo o que vemos
treme nosso temer

então tudo o que faremos
faremos sem temer

mesmo que ainda temos
o que tememos

e que ainda tememos
o que podemos vir a ter

fora tudo o que tememos
fora Temer